SAÚDE – Prefeito destaca importância do Hospital do Câncer da Amazônia

Unidade de Porto Velho foi inaugurada com a presença do presidente Michel Temer

Para o prefeito de Porto Velho, dr Hildon Chaves, a inauguração do Hospital de Câncer da Amazônia, trará benefícios não apenas para os pacientes que se tratam ou necessitam de tratamento para vencer a doença, mas para a capital rondoniense, em particular, e de forma geral, para o Estado. O prefeito foi uma das autoridades presente ao evento presidido pelo presidente da República, Michel Temer, na manhã desta quinta-feira (23).

“Não tenho dúvida nenhuma que todos saem beneficiados com esse empreendimento por causa do fluxo que o hospital passará a gerar. Por isso é uma obra de uma magnitude extraordinária porque agrega o lado humano, que é tratar, cuidar das pessoas, outras atividades também. E a vinda do presidente da República para fazer a inauguração mostra a importância desse projeto”, disse o prefeito.

Dr Hildon afirmou que o funcionamento do Hospital de Câncer, fará, também, pressão para a melhoria do serviço de saúde tanto da rede pública como da privada. Ele lembrou que a unidade é financiada com recursos de doação e do Sistema Único de Saúde (SUS). “E se você observar, o serviço prestado é de excelente qualidade. E por ser praticamente cem por cento financiado pelo SUS, isso com certeza irá gerar alguma pressão”, avaliou.

O prefeito também falou da liberação de R$ 2 bilhões para os municípios brasileiros, medida anunciada pelo presidente Temer na solenidade. Desse montante, entre R$ 5 milhões a R$ 6 milhões, devem ser repassados à Prefeitura de Porto Velho. “É um recurso extraorçamentário que vem numa boa hora”. O recurso virá da multa da repatriação de dinheiro aplicado no exterior e que agora estão retornando ao país.

Na solenidade, o presidente Temer reafirmou seu compromisso com a região Norte e anunciou também a conclusão do processo para abrir a licitação para melhoraria e ampliação do Aeroporto Internacional Jorge Teixeira, em Porto Velho. A atuação da bancada parlamentar federal rondoniense também foi elogiada pelo presidente em seu discuso. Por meio de uma emenda impositiva da bancada, o hospital terá um repasse de R$ 42 milhões.

HOSPITAL

Na solenidade, o diretor-geral do Hospital de Câncer da Amazônia, Henrique Prata, lembrou que o projeto de construção da unidade de Porto Velho nasceu da ideia de ampliar o serviço que a filial de Barretos já oferece à população rondoniense. “Usamos hoje uma estrutura dentro do Hospital do Estado. Não faz sentido empregarmos mais recursos próprios em um local que não é nosso”, afirmou

O terreno do hospital tem cerca de 70 mil metros quadrados. Na primeira etapa do projeto foram 15 mil metros quadrados de área construída e dois mil metros quadrados reservados especificamente para indígenas. “Nesse espaço, eles poderão continuar com seus hábitos, cultura e alimentação”, comentou Henrique Prata. A primeira fase teve custo estimado de R$ 45 milhões na obra e mais R$ 30 milhões em equipamentos.

A nova unidade conta com serviços de quimioterapia, radioterapia, pesquisa, banco de tumores, emergência, radiologia com duas salas de raios-X, três aparelhos de ultrassom, uma ressonância magnética, um mamógrafo e um para tomografia. Além disso, o hospital é equipado com laboratório de análises clínicas com seis salas de coleta e duas salas de exames, ambulatório com 20 consultórios, centro cirúrgico com quatro salas cirúrgicas.

O hospital atende também serviços de internação geral com 24 leitos, pediátrica com 16 leitos, indígena com 20 leitos e unidade de terapia intensiva (UTI) com oito leitos. Além de Rondônia, O Hospital do Câncer atenderá também pacientes vindos de outros estados como o Amazonas, Acre, Amapá, Mato Grosso e até de Minas Gerais, além de povos indígenas.

Fonte:Assessoria|Fotos: Tiago Miranda

Comente

© 2013 - Desenvolvido por Webmundo Soluções Web - Todos Direitos Reservados.