Japão quer adotar fim de semana prolongado para evitar “mortes por excesso de trabalho”

Os trabalhadores terão o direito de sair mais cedo na última sexta-feira do mês para compensar as longas jornadas que têm impactado na economia do país.

japonesasNo Japão, políticas que se voltam à necessidade de finais de semana prolongados têm sido vistas como o primeiro passo para uma campanha de saúde pública centrada no alto desequilíbrio entre vida social e trabalho enfrentado pela maioria dos trabalhadores.

A decisão foi anunciada no dia 29 de dezembro, quando o governo federal divulgou o plano da “Sexta-feira Premium”, na qual funcionários das empresas participantes terão o direito de sair do trabalho às 15h na última sexta de cada mês.

Segundo reportagem da Bloomberg, a proposta passará a ser válida a partir do dia 24 de fevereiro. A obsessão dos japoneses pelo trabalho é altíssima. Segundo uma pesquisa nacional datada de 2015, 20% dos cidadãos do país alegaram que trabalhavam, em média, mais de 49 horas por semana; enquanto outros 20% registraram ao menos 80 horas extras por mês.

As jornadas prolongadas têm afetado diretamente a economia do país, já que tem sobrado menos horas para as férias. Com menos tempo livre, as pessoas deixam de viajar e frequentar cinema e restaurantes. Porém, o consumo privado corresponde a 60% da economia japonesa. A “Sexta-Feira Premium” visa então solucionar ambos os problemas.

Em um país onde a palavra “karoshi” foi recém-criada especialmente para se referir a “mortes por excesso de trabalho”, um problema que cada vez mais atinge a população, qualquer atitude que pretenda melhorar a qualidade de vida do trabalhador é importante, segundo a imprensa local.

Em dezembro de 2015, a notícia do suicídio de uma jovem de 24 anos, que supostamente havia trabalhado 105 horas extras no mês, ganhou as manchetes no país e levou à renúncia do CEO da empresa, a Tadashi Iisi.

NA FRANÇA…

A nova proposta foi divulgada na mesma semana em que a França anunciou o direito à “folga de e-mail e mensagens de celular” fora do horário de trabalho, após uma nova lei apelidada de “direito de se desconectar” ter entrado em vigo no país. Segundo reportagem da BBC, empresas com mais de 50 funcionários serão obrigadas a elaborar uma carta de boa conduta que especifique quais são os horários fora da jornada de trabalho.A aprovação da nova legislação aconteceu após seus defensores alegarem que os trabalhadores não estavam recebendo um pagamento justo por essas horas extras.

Fonte:revistamarieclaire

Comente

© 2013 - Desenvolvido por Webmundo Soluções Web - Todos Direitos Reservados.